terça-feira, 22 de março de 2016

Cabelo Químico x Cabelo Virgem



Uma das primeiras regras quando se trata de cabelos é que não se pode comparar cabelo virgem com cabelo modificado quimicamente, independente da química utilizada. 

Sempre falei aqui no blog que vivemos na era da informação, então nada mais lógico do que buscar sempre aprender coisas novas. Principalmente quando as informações serão relevantes para o nosso dia a dia, certo?

Então vamos lá, vou comparar o cabelo a uma pessoa. O cabelo virgem seria uma pessoa como eu e você. Às vezes ficamos resfriados, às vezes pegamos uma catapora, uma dengue... ou seja, coisas cotidianas que acontecem com uma certa frequência.
Já o cabelo quimicamente tratado, seria como a pessoa que precisou se submeter a uma cirurgia. 

Após uma gripe você se restabelece completamente, com suplementação vitamínica e alimentação balanceada, você mal se lembra da gripe nas semanas seguintes. Após uma cirurgia você precisa de cuidados especiais, a recuperação é lenta e muitas vezes você precisa manter cuidados permanentes.

Assim como a pessoa saudável que pode ocasionalmente contrair doenças corriqueiras, os fios virgens sofrem agressões corriqueiras como ressecamento por poluição, água do mar ou cloro, falta de nutrição derivada de longos períodos sem tratamento, etc. Todos problemas fáceis de serem contornados.

Porém os cabelos químicos precisam de cuidado redobrado constantemente, eu diria atenção como a do diabético ou hipertenso que precisa monitorar a glicemia e pressão arterial religiosamente.

Por que comparei os fios químicos com pessoas que realizaram uma cirurgia? Bom, apesar de não haver bisturi envolvido num procedimento químico capilar, algumas camadas de cutículas ou escamas precisam abrir para haver a mudança no córtex, que é a parte onde ocorre tanto a mudança estrutural no caso de um alisamento ou de cor no caso da coloração/descoloração

Os agentes alcalinos utilizados nesses processos podem danificar de forma permanente as cutículas dos cabelos, bem como gerar danos irreparáveis no córtex, independente do tempo que passe e dos tratamentos que sejam feitos. Então não adianta achar que porque já se passaram alguns meses o seu cabelo já estará virgem. uma vez alterado não há reversão na parte modificada. 

Já falamos algumas vezes aqui no blog sobre como identificar danos, Diagnóstico Capilar em Casa e  Querer X Precisar.

Então não tem o que ser feito com meu cabelo depois que fiz uma química?
Acalme-se Margarida do dia! Cabelos quimicamente modificados são quimicamente modificados por uma razão, certo? Ninguém em sã consciência colocaria um produto com pH 13 num cabelo se não fosse para fazer algo que o deixasse diferente e bonito, certo?

Porém não tem como comparar a saúde de um cabelo virgem com a de um cabelo que foi exposto por 40... 60 minutos a um produto com pH 13, por mais que já tenha 6 meses. A única parte virgem será a parte que cresceu após o procedimento, ou seja, a parte próxima à raiz.

Não espere que um produto tenha o mesmo desempenho em um cabelo quimicamente modificado como tem um cabelo virgem. Respeite cada condição e cuide de acordo com cada necessidade.

Nos próximos posts falaremos mais sobre tratamentos.

Beijocas...

3 comentários:

  1. Adorei seu post, ainda assim quero ver você falar tudo isso quando tiver toneladas de cabelos brancos... beijO!

    ResponderExcluir
  2. O post ficou ótimo falou tudo!mas ja vi muitos cabelos com químicas lindos,Concerteza bem cuidados,assim como tbem já vi muitos cabelos virgens maltratadas tudo depende do cuidado da pessoa tô amando o blog tbem amooo cabelo😘

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante, queremos saber a sua opinião sobre o tema!

# POR MOTIVO DE FORÇA MAIOR, NÃO POSSUÍMOS CANAL DE AJUDA E DÚVIDAS #

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails